Aneel teve de acionar bandeira vermelha nas contas de luz do mês de agosto

Resultado de imagem para Aneel teve de acionar bandeira vermelha nas contas de luz do mês de agosto

Como se já nãos bastassem os aumentos que tivemos, nos últimos tempos, em nossas contas de luz, veio então a decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), para o mês de agosto deste ano, 2017: terão todas elas a chamada “bandeira vermelha”. A referida agência anunciou essa novidade, que seria exclusiva para as contas do mês seguinte àquele, ainda no dia 28 de julho, uma sexta-feira. Valendo lembrar que a tarifa de energia, ao ter a bandeira vermelha, vem com uma cobrança adicional. A tal cobrança, no entanto, não é de valor fixo, mas proporcional ao nível de consumo, pois serão adicionados R$ 3,00 a cada 100 kWh que tiverem sido consumidos em cada residência, estabelecimento, etc.

E é importante ainda salientar sobre como ocorre a atualização do sistema de bandeiras, pois, para quem não sabe, ele é feito todo mês, pelo órgão regulador. Esse, por sua vez, tem a função de avaliar não só o preço da energia, mas também o volume de chuvas, além, é claro, de verificar qual a situação, em todo o Brasil, e naquele período em específico, dos reservatórios das hidrelétricas. Só assim, depois de todas essas análises, é que eles tomam as decisões como esta da bandeira vermelha para o mês de agosto de 2017.

Diante de um cenário com consumidores obviamente indignados com mais um aumento, a Aneel resolveu então justificar-se, para que o aumento não soasse desnecessário. Segundo eles, o valor adicional que seria cobrado no mês seguinte, proporcional à quantidade de energia elétrica consumida, justificava-se devido a um aumento daqueles gastos com a geração de energia que antes haviam sido previstos para o mês posterior, no caso agosto. E ainda exemplificaram eles, com o caso da usina termelétrica Bahia 1, considerada, dentre as termelétricas todas, aquela que teria um maior custo a ser acionada no mês que se aproximava, chegando ao valor proporcional de R$ 513,51 por megawatt-hora (MWh).

Detalhando melhor as questões envolvendo a bandeira vermelha, podemos destacar que é apenas quando a energia fica com um valor acima de R$ 422,56 por Mwh, que o seu primeiro patamar é acionado. Assim, a já citada agência ainda reforçou, no mês de julho, a característica especial da conta de luz com bandeira vermelha. Segundo a Aneel, o sinal vermelho para o consumo serviria de alerta aos consumidores, para que estes intensificassem a eficiência no uso da energia elétrica, com menos desperdícios por consequência direta. Afinal, quando a situação piorasse ainda mais, chegando o valor da energia aos R$ 610,00 por MWh, seria então a vez do segundo patamar dessa mesma bandeira vermelha ser acionado, aumentando-se ainda mais o valor final a ser pago pelo consumidor. Nesses casos, adiciona-se R$ 3,50 à conta, toda vez que 100 kWh forem consumidos.

E, pelo visto, a situação da energia elétrica estava piorando naquele momento, dada a realidade de que, no mês anterior ao que se praticaria a bandeira vermelha, logo ‘julho’, vigorara a bandeira amarela. Essa bandeira, por sua vez, adicionava um valor inferior, ainda que também proporcional ao consumo, sendo de R$ 2,00 a cada 100 kWh. Inclusive, é bom lembrar que no mês retrasado ao de bandeira vermelha, no caso junho, a bandeira acionada foi a verde, que assim como no semáforo, indica um consumo “livre”, não trazendo assim nenhum custo adicional ao consumidor.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *