Preço dos eletrodomésticos variam até 79% em pesquisa realizada pelo Procon-SP

Com o objetivo em oferecer referências de preços aos consumidores do município de São Paulo e de todo o país, a Fundação Procon-SP que está ligada diretamente com a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, levantou os preços de eletrodomésticos entre os dias 16 e 17 de outubro de 2017 em busca de diferenças de preços em produtos da mesma marca e modelo. Uma das maiores diferenças constatadas foi o preço do aspirador de pó da marca Philco PH1390 MAXX – 127v, que teve uma flutuação no preço entre R$ 139,00 e R$ 249,00 nas regiões Leste e Oeste respectivamente no município de São Paulo.

No total, foram envolvidos 117 produtos nesta pesquisa com muitas marcas e modelos levantados pelo Procon-SP. Entre esses produtos estão: ferro de passar, aspirador de pó, lavadoras de roupas, misturador multiuso (mixers), fogões de piso, refrigeradores, fornos microondas, batedeiras, liquidificadores e climatizadores de ar. Para a realização desta pesquisa foram visitados 7 estabelecimentos comerciais que fazem parte das redes de varejo encontradas em todo o país.

Das 5 regiões da cidade de São Paulo pesquisada, foi na região central que o estabelecimento com os menores preços em quantidades de produtos pesquisada foi encontrado. O Extra Hipermercado foi o estabelecimento com os menores preços oferecidos ao consumidor, atingindo 51 itens da pesquisa.

Os especialistas responsáveis por essa e outras pesquisas do Procon-SP, recomendam uma escolha consciente do eletrodoméstico levando em conta suas dimensões (altura, largura e profundidade) e a voltagem deste aparelho. Isso deve levar em conta o espaço disponível em sua casa ou apartamento e a voltagem da rede elétrica. Ao considerar isso, o consumidor deve fazer uma pesquisa de preço e de marca, considerando o que melhor irá caber em seu bolso.

Seguindo as normas ABNT que são claramente expostas nos produtos eletrodomésticos no país, o consumidor deve optar por produtos que consumam menos energia elétrica e proporcionam economia na conta de luz. A etiqueta PBE – Programa Brasileiro de Etiquetagem, especifica as principais informações sobre o desempenho dos produtos, com classificação especificando eficiente e menos eficiente conforme o produto.

Os especialistas do Procon-SP também recomendam que as notas fiscais adquiridas na aquisição do produto, junto aos termos de garantia e o manual de instruções, devem ser guardados com muita responsabilidade para possíveis imprevisto como o mau funcionamento desses aparelhos que necessitam serem corrigidos pela empresa responsável pela fabricação do produto. A pesquisa completa pode ser vista no site do Procon-SP.

 

Luiz Carlos Trabuco Cappi assume também as funções da presidência do conselho do Bradesco

Os colaboradores do Bradesco, bem como outros agentes do segmento bancário foram surpreendidos com o anúncio de renúncia por parte de Lázaro Brandão, do posto que ocupava na instituição. Por tratar-se do cargo de presidente do conselho de administração do banco, a informação da saída do executivo ocasionou mudanças em outros setores da companhia. Isso se deve ao fato de Luiz Carlos Trabuco Cappi ter sido incumbido da realização das tarefas que antes eram de responsabilidade de Brandão. Na mesma ocasião em que veio a público as modificações corporativas, os executivos deixaram claro que deverá haver um novo líder à frente da corporação.

Para anunciar sua renúncia do conselho administrativo do Bradesco, o executivo achou conveniente a convocação de uma coletiva de imprensa, onde também tratou de outros assuntos inerentes ao andamento da gestão da instituição. Sucessor de um dos empresários que fundaram o banco, Brandão era o presidente do departamento há mais de duas décadas. Como motivo para que deixasse a função, ele explicou que trata-se de um período em que a empresa demanda por renovações. Sua presença na organização, entretanto, não será totalmente suprimida, uma vez que iniciará sua gestão dentro do conselho que responde pelas sociedades controladoras da companhia.

Ao lado de Luiz Carlos Trabuco Cappi, ele elucidou a importância dos novos líderes se esforçarem para que tudo o que foi conquistado pelas gerações anteriores seja mantido dentro da corporação. Sobre o crescimento do Bradesco no segmento onde atua, Brandão fez questão de relembrar a relevância da compra de um banco concorrente como propulsora dos avanços alcançados nos últimos anos, mesmo que a transação tenha custado um alto valor aos cofres da companhia.

O profissional que ocupará o posto de presidente do banco será, conforme as explicações de Brandão durante a entrevista, alguém que já atue dentro da instituição. Dessa forma, ele esclareceu que os trâmites sucessórios não fugirão do protocolo instalado há décadas dentro da corporação. O executivo sucedido por Luiz Carlos Trabuco Cappi levantou a estimativa de que já nos primeiros meses de 2018 o banco poderá ter um novo líder na presidência, bem como os nomes dos componentes do conselho de administração.

O agora presidente das sociedades controladoras da companhia informou que o futuro presidente do banco deverá ter iniciativa, ao passo em também deva conseguir perceber a importância do caráter contínuo que as tarefas estratégicas possuem para a organização. Enquanto a instituição lida com o processo de transição, tornou-se necessário que algumas funções fossem acumuladas nas mãos de alguns executivos, como no caso de Luiz Carlos Trabuco Cappi, que interinamente atua como presidente da empresa e do conselho administrativo.

Apesar de alguns agentes do segmento bancário esperarem que o banco amplie o quadro de conselheiros, os executivos não confirmaram ao longo da coletiva que trata-se de algo que esteja previsto para acontecer futuramente. Embora a confirmação não tenha ocorrido, a ideia não foi refutada em absoluto por eles. Brandão, na entrevista conjunta com Luiz Carlos Trabuco Cappi, sinalizou que uma vez que isso ocorra, privilegiará a participação dos colaboradores da companhia.

 

Congresso Promovido pelas Nações Unidas e FNDE discute a alimentação escolar

O Congresso Internacional de Alimentação Escolar: construindo caminhos para a educação alimentar e nutricional, trouxe como objetivo o fortalecimento dos programas de alimentação escolar como política estratégica para erradicar a fome no mundo. O evento promovido pela FAO e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, reúne 300 participantes de diversos países da América Latina e do Caribe.

O objetivo do encontro é a articulação de profissionais de áreas diferentes da nutrição e educação para a promoção de boas práticas e desenvolvimento de ações de educação alimentar e nutricional dentro das escolas.

O secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do Ministério do Desenvolvimento Social, Caio Rocha, destacou na abertura do evento a importância da agricultura familiar na merenda das escolas. Atualmente, os agricultores familiares são responsáveis pela produção de 3 mil produtos. “A agricultura familiar pode produzir e entregar mais alimentos de qualidade e saudáveis para a merenda escolar”, explica Rocha.

Os índices de sobrepeso e obesidade também foram citados pelo secretário. Ele ressalta que o desafio é grande, e a obesidade não é uma questão apenas de individualidade, o sobrepeso tem relação com toda a cultura social, de alimentação e hábitos de vida. No geral, 52% das pessoas estão com sobrepeso e 23% estão obesas, e a principal discussão é para que as embalagens dos alimentos apontem o excesso de sal e gordura, para as pessoas terem uma atenção maior para esse tipo de consumo.

O congresso é uma oportunidade dos países começarem as experiências que estão dando certo, segundo Alan Bojanic, representante da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura no Brasil. “A merenda escolar não traz benefícios só para as crianças. Ela gera muitos circuitos virtuosos como o fato de serem os agricultores familiares que fornecem para as escolas, com a geração de emprego, como é o caso das merendeiras. É um conjunto de atividades que replicam para a sociedade inteira”, destaca Bojanic.

O Programa Nacional de Alimentação Escolar, teve sua implantação em 1955, com a transferência de recursos financeiros para o fornecimento da alimentação dos alunos de toda a educação básica, que vai da educação infantil até a educação de jovens e adultos de escolas públicas e filantrópicas.

 

A companhia Air France-KLM vai aumentar o número de voos saindo do Brasil para a Europa

A companhia aérea Air France-KLM vai aumentar em 13%, o número de passagens de voos que partirão do Brasil rumo à Europa no final desse mês, quando começa a procura para passar o inverno continente europeu. Apesar do ano passado nessa época a empresa ter cortado alguns voos, acreditando que a demanda ia ser menor, esse ano a companhia está verificando que houve um aumento na procura de passagens para essa época.

O diretor-geral da Air France-KLM do continente sul-americano, Jean-Marc Pouchol, declarou que a empresa teve um aumento na procura de passagens nos últimos quatorze meses. Isso demonstra que o mercado está se recuperando.

Em novembro, a companhia irá operar com 35 voos por semana, partindo do Rio de Janeiro e de São Paulo para o continente europeu, aumentando em um voo a mais do que existe atualmente, e quatro a mais do que na mesma época de 2016. Além de aumentar o número de voos, a empresa irá disponibilizar mais passagens para o mercado nacional, já que irá operar com um avião maior.

Nos voos que irão sair de São Paulo, a Air France terá três voos a mais e no Rio de Janeiro, a KLM irá acrescentar mais um voo.

O diretor ainda acredita que o momento é ideal para investir, já que o Brasil está se recuperando e a empresa não quer perder essa chance.

A companhia Air France, diminuiu o número de voos no Brasil durante o período mais crítico da crise no país, seguindo a grande parte das empresas nacionais e estrangeiras, que operam no território nacional e que  reduziram a quantidade de voos  nos últimos tempos. A empresa chegou a operar 42 voos para a Europa saindo do Brasil por semana, inclusive uma rota de Brasília, que deixou de ser operada no ano passado.

A empresa deve começar a operar mais de quarenta voos semanais a partir do ano que vem saindo do Brasil, já que ela acredita em um aumento na demanda das passagens.

A empresa possui um fluxo maior de voos saindo da região Sudeste e Sul do país, mais ela ainda opera poucos voos nas regiões Nordeste, Centro-Oeste e Norte.

Atualmente a empresa que é líder nessa rota é a TAP, que possui voos saindo também de Fortaleza, Natal e Recife, para o continente europeu.

Leia mais sobre a história de vida do executivo José Auriemo Neto da JHSF

O executivo José Auriemo Neto chegou a posição máxima no comando da incorporadora JHSF antes dos 30 anos, se estabelecendo desde jovem como um dos líderes desse segmento no país. Mas antes disso, Zeco, como é conhecido pelos amigos, passou por uma longa trajetória dentro da empresa, na qual começou a trabalhar com apenas 17 anos.

Na adolescência, Zeco acumulou diversas experiências que reforçaram o seu espírito de liderança e senso crítico, como por exemplo, os meses em que morou na Noruega para disputar um campeonato amador de futebol, e também quando se mudou para a Bélgica, local em que ele treinou Hipismo por algum tempo com o renomado cavalheiro Nelson Pessoa Filho.

No momento de iniciar a faculdade, José Auriemo Neto escolheu cursar Engenharia na Faculdade de Engenharia de São Paulo, enquanto ao mesmo tempo, também já começava a trabalhar na empresa de sua família, mais especificamente na área de administração de estacionamentos. Conforme se acostumava a rotina da empresa, Zeco decidiu que era isso que queria para o seu futuro e tomou a decisão de deixar a faculdade para se dedicar ao trabalho na JHSF.

Desde os anos 90, a JHSF havia passado por um importante período de transição, no qual direcionou seu foco de mercado para a incorporação de imóveis comerciais para locação, um segmento que estava em alta na época. A partir de então, a empresa participou de projetos em São Paulo, Salvador, Manaus e inclusive em Punta del Este, que fica na região litorânea do Uruguai. Além dos imóveis comerciais, a empresa também se envolveu na incorporação de shopping centers e de condomínios de veraneio de alta renda, como o Las Piedras.

Como líder da empresa, José Auriemo Neto apostou na incorporação de luxo, um setor que foi determinante para que a JHSF crescesse e alcançasse as maiores do Brasil nesse mercado. Essa estratégia foi o que levou a corporação a elaborar o projeto do Parque Cidade Jardim, um moderno empreendimento multifunções localizado na área da Marginal Pinheiros, um local de São Paulo que muitos analistas afirmaram ser impossível de se construir um complexo de luxo.

Ciente das opiniões contrárias, José Auriemo Neto insistiu nesse projeto, o que o fez comprar o imenso terreno para a construção do Parque Cidade Jardim, que possuía um espaço de mais de 80 mil metros quadrados. Com isso, a JHSF se dedicou por anos a viabilização desse complexo, o qual após ser finalizado, em 2006, conta com um imenso shopping center voltado para a alta renda, torres residenciais, edifícios comerciais, restaurantes e um prédio em que alguns andares funcionam como sede do hotel de luxo Fasano.

Com grande sucesso na esfera profissional, José Auriemo Neto também construiu uma família com a sua esposa, a administradora Mariana Landmann Auriemo, e os filhos do casal. Mesmo com todas as tarefas e compromissos de sua rotina na liderança da empresa, o executivo afirma reservar parte do seu tempo para se dedicar a família. Já em relação as folgas, Zeco aproveita para jogar golfe, esporte que ele passou a apreciar na vida adulta.

Cidade do Rio de Janeiro começou a cobrar o ISS da Netflix e do Spotify

O Rio de Janeiro passou a fazer parte recentemente das cidades brasileiras que estão cobrando o Imposto sobre Serviços (ISS) de empresas responsáveis por prestar serviços de streaming de música e vídeo, como é o caso dos gigantes Spotify e Netflix, por exemplo.

No último dia 16 de outubro, Marcelo Crivella, o prefeito do Rio de Janeiro, sancionou um projeto de lei que aprova que essas plataformas de streaming musical e audiovisual comecem a fazer parte da lista de serviços que são atualmente tributados pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

Antes do Rio de Janeiro tomar essa atitude, outras capitais brasileiras como Recife, em Pernambuco e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, entre outras, também já haviam aprovado a cobrança de impostos pelo uso da Netflix e do Spotify.

Além delas, outros seis municípios do país, incluindo a cidade de São Paulo, também já anunciaram que estão pretendendo cobrar esse tributo dos serviços de streaming, e para concretizar esse plano, permanecem no aguardo pela sanção dos projetos de lei que abordam o tema.

Essa aprovação pela cobrança do ISS feita pelos municípios acontece em decorrência do presidente Michel Temer ter sancionado há alguns meses a Lei Complementar de número 157/16,  que ficou conhecida como “reforma do ISS”.  Publicada no Diário Oficial da União no dia 30 de dezembro de 2016, a lei passou a ser válida a partir do mês de março de 2017.

Com essa reforma das regras acerca do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), foi estabelecido oficialmente que os serviços de streaming de áudio e vídeo poderiam ser taxados com tarifas de cerca de 2% sobre a receita dessas empresas, podendo aumentar de acordo com o que for determinado por cada município.

Em conjunto aos serviços de streaming, outras empresas que ainda não pagavam o ISS como serviços de hospedagem de documentos e dados e empresas criadoras de programas para computados também passarão a ser cobrados por essa tarifa. Até o momento, a Netflix e o Spotify, líderes do mercado de streaming no país, não se pronunciaram de forma oficial sobre essa cobrança.

 

Área da educação do Rio de Janeiro poderá ser contemplada com parceria público-privada, por Felipe Montoro Jens

A atual gestão do Rio de Janeiro realiza estudos acerca da possibilidade de se estabelecer uma PPP (Parceria Público-Privada) que desenvolva serviços para a área educacional do município. Assim que se conclua tal negociação, há a estimativa de que a cidade passe a gerar mais de 20 mil vagas nas várias creches que serão construídas. A parte da construção das unidades educacionais, bem como os aspectos referentes à manutenção dos locais serão de responsabilidade da empresa de caráter privado, informa o especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens.

Além de creches, a parceria adotada também será utilizada para que escolas destinadas a alunos em idade pré-escolar sejam construídas e recebam serviços próprios de manutenção. A instituição que intermediará a escolha da parceria é a Internacional Finance Corporation, uma vertente do Banco Mundial especializada no assunto e que possui ação determinante nas análises da viabilidade do projeto. O especialista em Projetos de Infraestrutura, Felipe Montoro Jens explica que assim como ocorreu em países de primeiro mundo, o desenvolvimento dessa forma de ação obteve êxito também no Brasil, uma vez que na capital mineira houve o estabelecimento de uma PPP para solucionar demandas em escolas.

Apesar do assunto da implantação de uma parceria público-privada na área educacional da cidade ter vindo à tona agora, os membros da gestão municipal já estudavam a aplicação do tema assim que iniciaram seus trabalhos na prefeitura do Rio de Janeiro. Da mesma maneira como ocorre em outras PPP’s, tão logo a capital fluminense comece a contar com uma ação desse tipo, a empresa oriunda da iniciativa privada terá dentre suas obrigações a execução de serviços que envolverão a manutenção e administração de tarefas dentro das unidades escolares, já a prefeitura continuará atendendo as demandas pedagógicas, ressalta Felipe Montoro Jens.

O Internacional Finance Corporation, também conhecido apenas por IFC, é considerado um instituto que exerce determinante posicionamento em se tratando dos locais onde já atuou em todo o planeta e por essa razão foi contratado pela cidade do Rio de Janeiro para fornecer consultorias sobre a adoção de uma PPP. Segundo as informações prestadas pelo site da instituição, o serviço por eles prestado prima pelo emprego da experiência aliada ao conhecimento técnico, salienta o especialista em Projetos de Infraestrutura.

Especialista no assunto, Felipe Montoro Jens, ainda destaca que a relevância da presença do IFC no âmbito internacional, a prefeitura da capital fluminense também fará uso de seus serviços de análise para que ocorra o estabelecimento de uma PPP que abranja o setor de iluminação da cidade. Dessa forma, fez-se necessário que um montante avaliado em R$ 2,1 milhões fosse investido, uma vez que se tratava de algo estabelecido em contrato pelas partes envolvidas.

Embora muito tenha sido comentado sobre as PPP’s nos dias atuais, o assunto vem sendo debatido há mais de uma década. Sua formalização, no entanto, se deu em 2004, ano da implementação da lei 11.079 que instruía sobre o emprego desse tipo de parceria. Dentre as obrigações das instituições envolvidas, a legislação traz o fato de que a parte pública deve continuar exercendo seu poder de gestão perante as ações delegadas à iniciativa privada, ressalta Felipe Montoro Jens.