Exportação de suínos representa alta histórica no terceiro trimestre de 2017

No fechamento realizado no 3º trimestre de 2017, foram comercializadas 11,03 milhões de cabeças de suínos em todo o Brasil, o que representa um crescimento de 3,9% na comparação realizada com o segundo trimestre de 2017, e uma alta de 2,9% quando comparado com o terceiro trimestre de 2016. Esse retrospecto é positivo e considerado um recorde histórico desde o ínicio da série de medidas Estatísticas da Produção Pecuária, que teve início em 1997. Essa pesquisa foi revelada pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística no dia 14 de dezembro de 2017.

Segundo o órgão divulgador da pesquisa, esse aumento sofreu uma enorme influência do crescimento das exportações e do barateamento nos preços de compra das rações para suínos aqui no Brasil. “Após a Operação Carne Fraca que ocorreu no início de 2017, o Brasil demonstrou mais confiança por parte dos países importadores. Além disso, a queda do preço do milho, que é a base para ração dos suínos, também contribuiu para a produção de 2017, graças à safra produtiva”, explica ngela Lordão, supervisora da Atividade Pecuária do IBGE.

No mercado externo, o país conseguiu exportar no terceiro trimestre de 2017 160.191 toneladas de carne suína no sistema de exportação de carne in natura, um número 14,2% superior ao fechamento do segundo trimestre de 2017. A contagem do faturamento para estas vendas realizadas no terceiro trimestre de 2017 foi de US$ 392.393, um crescimento considerável de 4,7% na comparação com o fechamento do segundo trimestre de 2017. O país que mais comprou carne suína produzida no Brasil foi a Rússia, que representou 44% de todas essas exportações de carne suína realizadas no terceiro trimestre de 2017.

Essa pesquisa também apontou para o número de abates de bovinos e de frango, que apresentaram um crescimento quando comparados com os trimestres anteriores de 2017. Ou seja, o terceiro trimestre de 2017 também foi de grande alta para esses abates no país, sendo que 7,98 milhões de cabeças de bovinos foram comercializadas, equivalentes a uma alta de 7,6% em comparação com o fechamento do segundo trimestre de 2017, e uma alta de 9% em relação com o fechamento do terceiro trimestre de 2016.

No setor de criação de frangos no Brasil, o abate registrado foi de 1,47 bilhão de cabeças, que elevou os números representando um crescimento de 3,3% na comparação com o segundo trimestre de 2017, e 0,1% de alta quando comparados com o mesmo período em 2016.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *