Conheça a história da empreendedora que criou o movimento social Black Money

Eleita entre as cem pessoas afrodescendentes consideradas mais influentes em todo o mundo, a empresária Nina Silva, fundadora do Movimento Black Money, defende que o uso da tecnologia deve estar ao alcance de todos. Ela acredita que ainda há uma defasagem muito grande nesse campo e ressalta a importância de ações de inclusão digital.

Nina foi uma das palestrantes presentes no RD Summit, um evento que na edição de 2018 ocorreu em Florianópolis. No encontro, cuja principal temática foi “Tecnologia para quem?”, a empresária discorreu justamente sobre uma de suas maiores preocupações de ordem social: a falta de diversidade dentro das empresas e a necessidade de reverter tal situação. Conforme esclareceu, além do caráter humanitário, as organizações devem considerar que estão perdendo oportunidade de lucrar com o talento de diversos profissionais.

Nascida no Rio de Janeiro, Nina passou boa parte de sua vida vivendo no Jardim Catarina, um local conhecido por sua extensa favela, uma das maiores do país. Mesmo enfrentando dificuldades na vida, a agora empresária disse em uma entrevista para o portal Pequenas Empresas e Grandes Negócios, que nunca se sentiu adaptada àquela situação em que se encontrava. Ela apontou que a prioridade era prover o próprio sustento, mas isso não impediu que tivesse maiores aspirações.

Nina possui formação acadêmica na área de tecnologia da informação e disse ter escolhido este segmento por conta de ser promissor financeiramente. Antes de se formar, entretanto, a jovem atuava em outro meio: era escritora especializada em diversidades raciais. Além disso, a empresária também escrevia contos eróticos.

A fundadora do Movimento Black Money se surpreendeu quando ingressou no mercado de trabalho do segmento de tecnologia da informação. Embora recebam formações similares, homens e mulheres recebem salários diferentes, informou a empresária. Nina também salienta que os profissionais afrodescendentes não costumam receber a mesma valorização que os demais.

Para mudar tal realidade, Nina se empenhou arduamente em sua carreira e fundou o Movimento Black Money, que em tradução livre para a língua portuguesa significa “Dinheiro Negro”, uma alusão à capacidade de geração de lucro através do talento de profissionais afrodescendentes. Educação, comunicação e mídias inovadoras são os focos do projeto, explica a empreendedora.

Saiba mais:

https://revistapegn.globo.com/Empreendedorismo/noticia/2018/11/tecnologia-tem-que-ser-para-todas-pessoas-diz-nina-silva-fundadora-do-movimento-black-money.html

Agência de segurança sanitária da França pede fim das cabines de bronzeamento

A Anses (Agência Nacional de Segurança Sanitária) da França pediu para os poderes públicos do país para que adotem medidas que cessem a exposição de pessoas aos raios UVA artificiais observados dentro de cabines de bronzeamento artificial. De acordo com a agência, o risco de desenvolver câncer é o principal motivo para que esse tipo de procedimento seja banido no país.

Durante o pedido, o diretor da agência, Olivier Merckel, revelou sobre o assunto: “Pedimos a suspensão de atividades que utilizem o bronzeamento artificial ou a venda de produtos que oferecem exposição aos raios UVA artificiais com a finalidade estética”. De acordo com Merckel, essa ação tem como objetivo aumentar a prevenção contra o câncer no país, e assim reduzir futuros casos da doença.

“É hora de agir contra esse problema. As notícias científicas sobre o assunto mostram dados e provas sólidas de que há um risco significativo do desenvolvimento de câncer quando as pessoas são expostas aos raios UVA artificiais”, disse Olivier Merckel.

Esse não é o primeiro pedido realizado por instituições no país. Desde 2015 um conjunto de dermatologistas, senadores franceses e a própria Academia Nacional de Medicina pedem a proibição do uso de cabines de bronzeamento artificial. No entanto, o governo do país tem ignorado esses pedidos, adotando apenas medidas mais rigorosas para regulamentar esse tipo de procedimento. Dentre as medidas, o governo francês instituiu em 2013 que menores de 18 anos não podem realizar o procedimento estético.

De acordo com a “Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer”, os raios UVA utilizados nas cabines de bronzeamento representam um grande risco para a saúde. Em 2009, a agência classificou todos os dispositivos que utilizam esse tipo de radiação como agentes cancerígenos.

A Anses ainda destacou que não há nenhum nível seguro para a utilização desse procedimento estético. “Não há doses seguras ou limite de exposição a radiação que possa proteger os usuários das cabines de bronzeamento”, revelou a agência. “Os dados apontam que pessoas com mais de 35 anos aumentam em 59% o risco de desenvolver um melanoma somente por utilizar uma única vez a cabine de bronzeamento. Nós calculamos que 43% dos jovens com menos de 30 anos que possuem melanoma na França estão relacionados a exposição aos raios UVA artificiais”, enfatizou a Anses.

Chefe comercial da índia prevê redução na produção de algodão

O chefe comercial da Índia revelou em notícias divulgadas pela revista Reuters que a produção de algodão da safra 2018/19 poderá cair até 4,7% em relação a temporada anterior. De acordo com o chefe comercial da Índia, essa redução significa que o país produzirá em torno de 34,8 milhões de fardos nessa nova safra. Essa redução apresentada pela Índia se aplica a escassez de chuva que o país tem vivido atualmente. Além disso, o chefe comercial destacou que os ataques da lagarta rosada têm impactado na produção de algodão do país.

Essa queda da produção do algodão deverá ainda limitar as exportações realizadas pela Índia, que é atualmente o país com maior concentração de produção da fibra em todo o mundo. Tudo isso ainda acontece em um cenário onde a China, que é o maior consumidor da fibra no mundo, tem apresentado maior demanda por diversos tipos de importações, inclusive o algodão. A redução da produção de algodão indiano ainda poderá proporcionar um suporte aos preços da fibra em todo o mundo, que estão atualmente próximos das mínimas dentro de um período maior que nove meses.

O presidente Atul Ganatra que representa a “Associação de Algodão da Índia” revelou sobre a redução na produção de algodão: “Nossas estimativas são de que essa nova produção de algodão de 2018/19 seja menor em Gujarat em relação a produção anterior. Essa redução é uma consequência do tempo seco que não favorece a produção da fibra”.

Ganatra destacou na Reuters que a redução da produção de algodão em Gujarat terá grande impacto na produção e na economia do país. Isso porque Gujarat é o Estado que mais produz algodão na Índia. Neste ano, o nível de chuva em Gujarat foi 28% menor do que a média registrada para a temporada de monções, que é o período que corresponde de junho a setembro. As informações sobre o nível de chuva no país foram informadas através do “Departamento Meteorológico da Índia“.

Em Gujarat, a redução da produção de algodão poderá chegar a 14,3% em comparação com a produção anterior. As novas estimativas são de que o Estado produza apenas 9 milhões de fardos nessa nova temporada.

Guilherme Paulus irá inaugurar novo hotel de luxo em São Paulo

O empresário Guilherme Paulus continua investindo pesado no ramo da hotelaria. Considerado como uma das maiores referências do Turismo no país, o executivo, que além de presidente da rede GJP Hotels e Resorts também atua como membro do Conselho da CVC Corp., irá abrir um novo estabelecimento em São Paulo nos próximos anos.

O novo hotel irá funcionar em uma propriedade luxuosa na avenida Cidade Jardim, em um edifício histórico da capital paulista, adquirido recentemente pelo empresário. Anteriormente, o imóvel funcionava como sede da agência de publicidade brasileira DPZ e era tido como um dos imóveis mais icônicos da cidade.

A expectativa é de que o novo empreendimento de Guilherme Paulus seja inaugurado no ano de 2020, com um total de 65 apartamentos, rooftop, salão de eventos e restaurantes. Por enquanto, já se sabe que a intenção do grupo GJP é criar uma nova bandeira para esse hotel, a qual poderá futuramente se expandir também para a cidade do Rio de Janeiro.

Esse será mais um entre os hotéis de luxo da rede GJP, que já possui estabelecimentos luxuosos no sul do Brasil, na serra do Rio Grande do Sul, como o Saint Andrews Gramado e o Wish Serrano Resort, ambos com reconhecimento internacional. Além disso, a empresa também conta com as bandeiras Prodigy e Linx.

Apesar do cenário de crise, Guilherme Paulus continua defendendo que é importante investir no setor de turismo e hotelaria. Segundo ele, os brasileiros não deixam de viajar em função das dificuldades econômicas, somente repensam melhor os gastos e optam por destinos mais próximos e acessíveis. Esse é o motivo pelo qual ele permanece afirmando que o segmento ainda tem muito espaço para se desenvolver no Brasil.

Em outras grandes economias mundiais, o setor de turismo gera cerca de 9% do Produto Interno Bruto, enquanto no Brasil, a porcentagem está em aproximadamente 3,5%, o que atesta o otimismo de Guilherme Paulus sobre o imenso potencial brasileiro nesse aspecto. E para explorar esse potencial, é importante que os setores ligados ao turismo trabalhem de forma conjunta e integrada.

Para garantir o crescimento da rede GJP Hotels & Resorts, o empresário tem investido na modernização de vários de seus empreendimentos, atento as oportunidades que podem surgir no futuro. No momento, a empresa conta com um portfólio de 15 resorts luxuosos, além de estabelecimentos de outras categorias, o que possibilitou que ela atingisse o valor de mercado de R$ 1 bilhão. Em relação a taxa média de ocupação desses hotéis, a mesma permanece em torno de 70% ao longo do ano, um índice espetacular para o segmento hoteleiro.

Um dos estabelecimentos mais elogiados da rede de Guilherme Paulus é o Prodigy Hotel Santos Dumont Airport, o qual foi inaugurado em 2015 ao lado da entrada do aeroporto de voos doméstico do Rio de Janeiro. Construído para ser um hotel de grande porte, com cerca de 300 suítes, o local ainda se destaca como uma alternativa útil para os executivos, pois conta com um imenso auditório dedicado exclusivamente para reuniões.

Mais um prêmio do World Travel Awards para hotel de Guilherme Paulus

Foi em setembro de 2018 que a cidade de Guayaquil, no Equador, tornou-se palco da renomada cerimonia de premiação do World Travel Awards (WTA). A 25ª edição do evento considerado o principal reconhecimento mundial do setor turístico-hoteleiro, premiou pela segunda vez um dos grandes empreendimentos do empresário brasileiro Guilherme Paulus.

O Wish Resort Foz do Iguaçu (PR), hotel da rede GJP Hotels & Resorts, foi o estabelecimento que recebeu o prêmio de “Melhor Resort para Famílias da América do Sul”.

Juntamente com o Resort da marca Wish, o Brasil também marcou presença faturando mais algumas premiações. Entre os demais hotéis brasileiros certificados estão: o Hotel Saint Andrews, em Gramado (RS), como “Melhor Hotel de Luxo”; e, o Dom Pedro Laguna, em Fortaleza (CE), como “Melhor Resort de Praia”. A categoria de “Melhor destino de turismo esportivo” ficou para a cidade do Rio de Janeiro.

Além deste prêmio, o hotel cinco estrelas, adquirido em 2009 pelo Grupo de Guilherme Paulus, conta com o título WTA de “Melhor Resort do Brasil” conquistado em 2016.

Wish Resort Foz do Iguaçu

Após ampla reestruturação, o empreendimento, com sua uma área total de 225 hectares, passou a comportar 215 apartamentos, jacuzzis, salão de beleza, sauna, sete piscinas infantis e para adultos, parede de escalada, pista de cooper, arvorismo, trilhas, um campo de golfe profissional de 80 hectares e com 18 buracos e um dos maiores Kids Club do país. A ampla área gastronômica é formada por adega e três restaurantes, o Frontera Sur, que oferece carnes nobres argentinas; o Golf Grill, que serve café da manhã, almoço e jantar buffet; e o Forneria di Como,

GJP Hotels & Resorts

A GJP Hotels & Resorts, criada em 2005, é liderada pela GJP Participações também de Guilherme Paulus. A rede composta por 14 hotéis e resorts pretende expandir os negócios e incluir novos estabelecimentos em pontos estratégicos do Brasil. Ainda à frente da empresa, o executivo tem por hábito contemplar seus clientes com diferentes eventos oferecidos pela casa, como festivais gastronômicos, por exemplo.

Sobre Guilherme de Jesus Paulus

O paulistano, nascido em 1949, possui uma trajetória profissional reconhecida nacional e internacionalmente de quase 50 anos dedicados à área de turismo. Graduado em Administração de Empresas, Guilherme Paulus segue atuando como Chairman da GJP Participações, que rege a GJP Hotels & Resorts e a GJP Construtora e Incorporadora.

Em seu currículo também carrega o posto de sócio-fundador da CVC, considerada a maior rede varejista brasileira de turismo e a maior operadora de viagens da América Latina. A empresa foi criada juntamente com Carlos Vicente Cerchiari, em 1972, na cidade de Santo André – SP.

Além das empresas, o histórico profissional de Paulus contem atuações como: integrante do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) do Governo Federal, de 2012 a 2016; membro do Conselho Nacional do Turismo, desde 2003; e, atual presidente Conselho de Administração do São Paulo Convention & Visitors Bureau e vice-presidente de Relações Internacionais da Associação Brasileira de Agências de Viagens (ABAV) Nacional.

Diante de tanto know, Guilherme Paulus foi homenageado pelo Governo Francês por contribuir com o turismo local e também reconhecido por cidades da Argentina, México, Estados Unidos e Venezuela. Além disso, acumula títulos de Personalidade do Ano, Executivo de Valor e Revolucionário das Relações de Consumo.